Organizações lançam petição pelo fim da Polícia Militar

A chance é essa vamos desmilitarizar as PMs do Brasil. A Guarda Municipal usa Farda mas não é militar, a Polilcia Rodoviária Federal usa Farda mas não é militar. Porque a PM tem de ser? Acabar com o militarismo não é acabar com a Hierarquia, em todo lugar existe a hierarquia, vai sempre existir o Diretor, o Gerente, o Chefe, ou seja, os adminstradores, logo não precisamos de militarismo até um General de Exército já reconheceu isso! Diga não ao militarismo. Clique aí na opção e vote, isso é um Direito seu.

Organizações lançam petição pelo fim da Polícia Militar


Após atingir mil assinaturas, a petição será encaminhada à Presidência da República, ao Congresso e ao STF

Após atingir mil assinaturas, a petição será encaminhada à Presidência da República, ao Congresso e ao STF

30/07/2012

José Francisco Neto

da Redação
A Rede Nacional de Familiares e Amigos de Vítimas da Violência do Estado lançou uma petição pública neste domingo (29) pela desmilitarização das polícias do Brasil. Após atingir mil assinaturas, a petição será encaminhada à Presidência da República, ao Congresso Nacional, ao Ministério Público Federal (MPF) e ao Supremo Tribunal Federal (STF). Para assinar
clique aqui.

O pedido é uma reivindicação histórica dos movimentos, e a campanha é um desdobramento da audiência pública realizada na quinta-feira (26), em que entidades de direitos humanos, movimentos sociais e membros do Ministério Público Federal exigiram o fim da Polícia Militar e apoiaram o pedido do Procurador Federal da República, Matheus Baraldi, de afastamento do comando da corporação do Estado de São Paulo.

Recentemente, o Conselho de Direitos Humanos da ONU também recomendou explicitamente que o Brasil trate de “combater a atividade dos ‘esquadrões da morte’ e que trabalhe para suprimir a Polícia Militar, acusada de numerosas execuções extrajudiciais”.

Carta à Presidenta

O movimento Mães de Maio junto com a Rede Nacional de Familiares e Amigos de Vítimas da Violência do Estado protocolou na quarta-feira (25), em Brasília, uma carta à presidenta Dilma Rousseff, cobrando 15 medidas que, há seis anos, não saem do papel, dentre elas o acompanhamento federal jurídico e político do crescimento da violência no Estado.

Também pedem um parecer sobre a federalização dos crimes de maio de 2006, abolição dos registros de casos de "resistência seguida de morte" nos inquéritos policiais, tidos como inconstitucionais, e a criação de uma Comissão da Verdade para crimes policiais praticados na democracia.

Em nota, o movimento diz que aguarda a confirmação da Presidência da República sobre a data para a Rede Nacional discutir uma política nacional para os familiares de vítimas do Estado Democrático.

Aumento de homicídios

Pela quarta vez consecutiva, os homicídios aumentaram em São Paulo, contradizendo o governador Geraldo Alckmin que disse em entrevista na terça-feira (23) que os indicadores da criminalidade “iriam cair”.

De acordo com as estatísticas divulgadas na quarta-feira (24) pela Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, o aumento foi de 22% em relação ao mesmo período de 2011. Com uma média de 14 mortes por dia, junho foi o período mais violento nos últimos 18 meses, com 134 mortes – aumento de 47% - contra 90 em junho do ano passado.

Segundo a Ouvidoria da Polícia Militar, só a Rota – Ronda Ostensiva Tobias Aguiar - matou 48 pessoas apenas no primeiro semestre na capital paulista. Em comparação com o mesmo período em 2010, os homicídios subiram mais de 100%.

Ao longo dos últimos 30 anos, mais de 1 milhão de pessoas foram assassinadas no país. No período “democrático” brasileiro houve um aumento de 127% no número de homicídios anuais, dos quais as vítimas, em sua maioria, são jovens pobres e negros, conforme demonstram as estatísticas do Mapa da Violência 2012.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Polícia recupera carro furtado durante festa de Zé Dantas

0 comentários

Polícia recupera carro furtado durante festa de Zé Dantas
O veículo foi conduzido a DP de Carnaíba, onde foi entregue ao proprietário

Policiais militares lotados no Destacamento de Carnaíba recuperaram agora a pouco, na PE- 329, o veículo Fiat Uno, Ano 94, Cor Vinho, furtado na madrugada de ontem, 25, (Sábado), durante a realização da festa de Zé Dantas promovida pela prefeitura local, que teve como atração maior o cantor Zé Ramalho.

De acordo com Cícero Souza Silva, 36 anos, o carro estava com a documentação em seu interior e foi furtado nas imediações da Praça de Eventos. O proprietário do veículo ainda informou que o tanque tinha combustível suficiente para que os imputados seguissem em frente, mas eles resolveram levar apenas o som.

domingo, 26 de setembro de 2010

0 comentários

 
Em 2007 servidores da área da saúde conseguiram através do Mandado de Injunção nº 721/-7/DF no Supremo Tribunal Federal o direito à aposentadoria especial por trabalharem em atividade insalubre. Nesta sentença ficou decidido que os funcionários públicos tem direito à aposentadoria especial prevista no artigo 40, § 4º, da Constituição do Brasil, sendo que, até a edição de Lei Complementar regulando o citado § 4º, as aposentadorias devem se dar nos termos do artigo 57, § 1º, da Lei nº 8.213/91 (Lei da Previdência Social).
A Lei nº 8.213/91 estabelece em seu artigo 57 caput e § 1º que a aposentadoria especial será devida ao segurado que tiver trabalhado, sujeito a condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física, durante 15 (quinze), 20 (vinte) ou 25 (vinte e cinco) anos, com renda mensal equivalente a 100% (cem por cento) do salário.
Diante disso a Associação dos Delegados de Policia do Estado de São Paulo – ADPESP, ingressou com o Mandado de Injunção nº 755-1/DF junto à Suprema Corte e obteve decisão no mesmo sentido em 2009. No caso de policiais, segundo as regras do INSS, a aposentadoria especial pode se dar com 20 anos de serviços prestados.
Diversas associações de diversas carreiras (Polícia Rodoviária Federal, Associação dos Investigadores do Estado de São Paulo) já ingressaram com seus Mandados de Injunção Coletivos, tendo muitas delas já obtido sucesso (MI 788/DF, MI 795/DF, MI 796/DF, MI 797/DF, MI 808/DF, MI 809/DF, MI 815/DF, MI 825/DF, MI 828/DF), sendo que até o momento não temos conhecimento de qualquer de nossas entidades representativas que tenha ingressado com o mesmo tipo de ação.
Atualmente os Policiais Militares que tiverem interesse em se beneficiar das decisões deve procurar individualmente um advogado para ingressar com uma ação individual (mandado de segurança), sendo que já existem diversos advogados ingressando com tal ação.
Ocorre que, diante de tais decisões e cedendo a pressões dos Governadores de Estado o Governo Federal, por meio da Casa Civil, encaminhou ao Congresso Nacional o Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 554/10, regulamentando o inciso II do § 4º do artigo 40 da Constituição Federal, afim de evitar o benefício deste direito da forma como entendida pelo Supremo Tribunal.
Pelo PLC nº 554/10 terão direito à aposentadoria especial de que trata o inciso II do § 4º do artigo 40 da CF/88 os policiais (civis, Militares e guardas de presídio) que contarem cumulativamente com 25 anos de efetivo exercício em atividade policial, 5 anos no cargo em que se dará a aposentadoria, 30 anos de tempo de contribuição e 55 anos de idade, se homem, e 50 anos, se mulher.
É evidente que tal PLC além de não melhorar a situação em que se encontram os Policiais Militares e Bombeiros, piora muito ao estabelecer um critério de idade atualmente inexistente.
É neste momento em que temos a possibilidade de obter um benefício que pode melhorar nossa passagem para a inatividade ou temos o claro risco de sermos mais uma vez prejudicados em nosso direito que precisamos nos unir para evitar um grave prejuízo que estamos em vias de sofrer, como tantos outros que já sofremos por falta de representatividade.

Fonte: http://www.capitaoaugusto.com.br/detalhe_noticias_novo.php?id=246

0 comentários

Comando Regional da PM investiga denúncias de desvio de dinheiro público em convênio firmado entre o Batalhão de Barretos e a prefeitura

O Comando da Polícia Militar da Região de Ribeirão Preto instaurou sindicância para investigar a denúncia de desvio de dinheiro público em convênio firmado entre a Prefeitura de Barretos e o 33º Batalhão da Polícia Militar do Interior (BPM-I). A informação é de policiais militares que, sob a condição do anonimato, relataram o caso ao JBR. Eles informaram que o advogado Cláudio Lázaro Aparecido Júnior prepara ação popular para pedir ao Poder Judiciário local a investigação do caso e a responsabilização de eventuais culpados. Procurado pelo jornal, Aparecido Júnior confirmou as informações.
O dinheiro supostamente desviado vinha de um pro-labore, pago pela prefeitura, a policiais militares que atuassem na área operacional, ou seja, que trabalham nas viaturas, há pelo menos um ano consecutivo, em Barretos. Contudo, consta da denúncia que policiais com menos de um ano de atuação na área operacional, ou que estavam de férias, licença-prêmio ou licença-saúde estariam sendo beneficiados com o pro-labore, contrariando a regra legal. Estima-se que, entre 2006 e 2010, aproximadamente R$ 70 mil tenham sido pagos indevidamente aos policiais.

Artigo 14 - ACS - PE entrega documento na Secretaria de Defesa Social

0 comentários


Promessa é dívida. A Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS - PE) continua na luta em favor dos policiais e bombeiros militares afastados por estarem no Artigo 14. Na manhã desta sexta-feira (24/09), o representante de Base, Arlécio Ferreira, entregou o Ofício nº 253/2010, através do qual encaminha lista de nomes, cobrando providências para que os mesmos sejam reintegrados.
Por: Paula Costa | Jornalista
Arlécio efetiva entrega de documento sobre Artigo 14

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Proposta de reformulação na legislação da PM do RN

0 comentários

Policiais militares criam novo Código de Ética e esperam aprová-lo na AL

 

Proposta de reformulação na legislação da PM será entregue à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, nesta terça-feira (21).

Os policiais militares do Rio Grande do Norte se mobilizaram e conseguiram elaborar um novo Código de Ética para a categoria. As mudanças, de acordo com a Associação de Cabos e Soldados da PM, atende aos avanços da legislação brasileira, tendo em vista que o Código atual foi elaborado em 1976. “Estamos sob uma lei que é anterior a Constituição e nunca teve modificação substancial”, afirma o cabo Jeoás.

A proposta de reformulação no Código de Ética da Polícia Militar será entregue na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte nesta terça-feira (21). “Amanhã estamos levando o projeto para apresentar a todos os deputados e solicitar que eles comecem a fazer o debate para que tenhamos aprovado essa nova legislação”.

Cabo Jeoás explicou que o Código de Ética é uma legislação que irá substituir o Conselho Disciplinar. Ele citou como exemplo o direito de defesa que hoje não consta em lei para os policiais militares.

“Ele é aplicado por uma questão de democracia. Mas, essa defesa fica prejudica, porque quando você é julgado por um só juiz, o oficial, já existe um pré-julgamento e a legislação em si é muito aberta para interpretação do julgador da norma”, ressalta.

O presidente da Associação de Cabos e Soldados informa que no projeto elaborado pela categoria ficará estabelecido o que são transgressões leves, médias ou graves. De acordo com Jeoás, hoje, um oficial é quem decide a categoria que punirá o policial.

“Nessa transformação do Código de Ética definimos como graves os crimes contra a sociedade e contra os seres humanos. As transgressões disciplinar, por sua vez, como um soldado não vestir a farda corretamente, colocamos como leve. Nossa função é proteção a sociedade. Então, é mais grave crime contra direitos humanos do que uma desatenção ou conduta militar”, avalia.

Jeoás afirmou ainda que as definições nas categorias de crimes não será uma maneira de aliviar a vida dos transgressores. “Hoje, nós policiais somos sujeitos a um código penal diferenciado. Caso cometa algum crime será preso imediatamente, o que é certo. Mas, o que estamos propondo é o fim de situações em que um oficial tem o poder de olhar para o soldado e dizer você está preso”.

Para melhorar o julgamento dos policiais transgressores, a proposta da Associação de Cabos e Soldados estabelece a criação de Conselhos de Ética por batalhão. Tais Conselhos não serão formados somente por oficiais, pois terá que ter um policial da mesma patente do que está sendo julgado. Já a presidência ficará a cargo do policial mais antigo, seja ele praça ou oficial.

Os policiais militares também esperam conseguir mudanças no Estatuto dos Militares Estaduais. De acordo com Jeoás, a categoria quer que o ingresso na Polícia Militar seja a partir do nível superior.

“Além disso, é preciso que as cotas para os praças nos concursos para oficiais seja de 50% das vagas, atendendo valorização do profissional que já está na corporação. Também vamos lutar pelo plano de carreira. E outro ponto é a definição da carga horária de trabalho, com uma proposta de 160 horas mensais”, explica. Atualmente, o policial militar tem carga de trabalho de 240 horas mensais, com escala de 24h trabalhadas por 48h de folga.

Fonte:  Nominuto

sábado, 18 de setembro de 2010

0 comentários

PARANÁ:Aprovada PEC que garante subsídios à PM

Subsiidio a PM do Paraná
Com 38 votos favoráveis, os deputados aprovaram ontem, por unanimidade, a segunda discussão da Proposta de Emenda à Constituição, a PEC 64, que determina a implantação do subsídio como forma de remuneração dos policiais militares e civis do Estado. Após o recesso a Assembleia, dia quatro de outubro, a PEC voltará a ser discutida, mas apenas para redação final. Entre os principais benefícios, os policiais militares em início de carreira terão os vencimentos reajustados nos próximos meses. Estima-se que o benefício provocará um impacto de cerca de R$ 50 milhões mensais na folha de pagamento da polícia ao fim da implantação, sendo que o valor total chegue a R$ 150 milhões em salários. Segundo o Coronel Elizeu Ferraz Furquim, presidente da Associação de Defesa dos Direitos dos Policiais Militares (Amai), a aprovação corrige algumas distorções ocorridas em anos anteriores. Segundo ele, a PEC de 1998, colocou fim ao efeito cascata que garantia um bom vencimento, mas após a retirada deixou os salários estagnados. O subsídio agrega várias gratificações a um único salário mensal. "A remuneração dos servidores militares sob a forma de subsídio é prevista na Constituição Federal, mas o Paraná até o momento não regulamentou este dispositivo constitucional. A aprovação desta PEC, que altera a Constituição do Estado, possibilitará o restabelecimento da legalidade", disse o professor Lemos, que liderou o movimento de apresentação da PEC, no ano passado, quando ocupava uma cadeira do PT na Assembleia Legislativa do Paraná. A PEC aprovada ontem, no entanto, ganhará mais força na medida que a PEC 300, que tramita no Congresso e estipula um piso nacional para a polícia de R$ 3,5 mil, seja aprovada na totalidade e crie condições para que possa ser aplicada no Paraná. Com soldo de R$ 400 e salário inicial de R$ 1,9 mil no início de carreira, o Estado do Paraná paga atualmente o quinto pior salário dentre os policiais no País.
Fonte:http://www.odiario.com/parana/noticia/342143/aprovada-pec-que-garante-subsidios-a-pm.html

CAMPANHA CRIANÇA FELIZ

0 comentários




http://3.bp.blogspot.com/_kjB4V7Nk1Bc/TAVBWCuz6jI/AAAAAAAAAIk/5qlZ0jVB0aE/s1600/kid.jpg
CRIANÇA FELIZ
Por mais uma vez, nós que fazemos a 1ª CIPOMA, recorremos à solidariedade de todos os amigos, pois estamos arrecadando, até o dia 04 de outubro do corrente ano, doações de brinquedos novos ou usados para que possamos, juntos, concretizar mais uma edição da Campanha Criança Feliz. Na edição número um da campanha em 2009, conseguimos, graças as bênçãos de Deus e à generosidade de todos vocês, fazer um “Dia das Crianças” mais feliz para 150 crianças carentes.

As doações podem realizadas na Sede da 1ª CIPOMA, Cruz de Rebouças – Igarassu / PE, caso não haja possibilidade de deslocamento, entre em contato através do e-mail: cipomacpe@yahoo.com.br, onde veremos a possibilidade de captação.  

"A alegria de fazer o bem é a única felicidade verdadeira."
                         (Léon Tolstoi)

  Agradecemos desde já pela colaboração e atenção de todos.


Atenciosamente,


                    Da Comissão Organizadora

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Secretário de Defesa Social Recebe a ACS-PE

0 comentários

Cabos e Soldados na Secretaria de Defesa Social
Imprensa | Publicado: 15/09/2010 às 17:44:42 | Visitas: 18
Artigo 14, Gratificação de Motorista, Etapa de Alimentação para os Bombeiros, Insalubridade, escala de serviço, piso salarial e a situação dos Inativos. Estes foram alguns dos assuntos discutidos pelos diretores da Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS – PE), durante reunião com o secretário de Defesa Social, Wilson Damázio. Desde que assumiu o cargo, essa foi a primeira vez que o secretário recebeu cabos e soldados para tratar sobre as reivindicações da tropa. Há quase dois anos a SDS não recebe a ACS – PE.

Participaram da reunião, o coordenador Interino da ACS – PE, José Carlos dos Santos; o diretor Jorge Medeiros; o Conselheiro Fiscal e bombeiro, Fenelon Beda; o advogado Dr. Wilson Castro; a assessora da Coordenação, Gilvânia Fernandes, além do comandante da Polícia Militar, Cel. Tavares Lira e o secretário Wilson Damázio. “A reunião foi positiva mas esperamos que as ações propostas sejam cumpridas”, conta o coordenador Interino, José Carlos dos Santos.
Segundo Dos Santos, o secretário recebeu em mãos o Dossiê “Inativos da PMPE: uma tropa abandonada”, o qual apresenta a precariedade vivida pelos policiais e bombeiros militares Inativos. “Atingimos o nosso objetivo, ou seja, o secretário ficou muito impressionado com as imagens contidas no documento”, conta Dos Santos. A idéia é investir num soldo salarial mais justo e num salário sem penduricalhos, ou seja, sem gratificações excessivas. 

Também foi sugerida a criação de um projeto que possibilite o aproveitamento dos profissionais em outras atividades dentro das Corporações e até mesmo na Secretaria de Defesa Social. “Existe a Lei 8.213/91 (Lei de Cotas para Portadores de Necessidades Especiais) que exige a abertura de vagas de trabalho para portadores de deficiência. Tal legislação também deve ser respeitada pela Polícia e Bombeiro. Poderemos aproveitar esse pessoal em trabalho de monitoramento de câmeras de segurança, no CIODS ou em serviços administrativos, por exemplo”, conta ele. 

Quanto ao Artigo 14, o secretário solicitou da entidade uma lista com os nomes dos policiais e bombeiros que já poderiam estar de volta as atividades. E garantiu que a nova lei tem que ser respeitada. Sobre a Gratificação de Motorista, foi discutida a adequação da mesma conforme a função exercida. “Uma das idéias é criar níveis diferentes de valores da gratificação, a serem pagos de acordo com o tipo de veículo. Existem viaturas simples e outras caríssimas, sofisticadas que exigem mais perícia por parte do motorista”, conta Santos.

Outro assunto em questão foi a Etapa de Alimentação e Insalubridade para os Bombeiros. “Finalmente, o secretário mandou verificar por quais motivos os bombeiros não recebem tal benefício, para que a injustiça seja corrigida”, desabafa Dos Santos. Já quanto a escala de serviço e denúncias sobre abuso de poder, Wilson Damázio se comprometeu a verificar o problema. 

Comissão – Todos os assuntos discutidos durante a reunião serão documentados e encaminhados para uma comissão, responsável pelo encaminhamento das solicitações ao Governo do Estado. “Fomos convidados a colaborar com as propostas de mudanças. Esperemos que surta o efeito esperado e estamos de olho”, conclui Dos Santos.  
Por: Paula Costa | Jornalista
0 comentários

 
Conselhos de Disciplina - novas vitórias
Imprensa | Publicado: 13/09/2010 às 21:31:31 | Visitas: 226
 
Novas vitórias em Conselhos de Disciplina. Os policiais militares  JNFS e JONF tiveram parecer favorável em seus respectivos conselhos. A defesa foi realizada pelo advogado da Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS - PE), Dr. Wilson Castro.
 
Por: Paula Costa | Jornalista

sábado, 11 de setembro de 2010

1.0.0. CURSO DE FORMAÇÃO DE CABOS PM (PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO

0 comentários
BOLETIM GERAL Nº A 1.0.00.0 164 05 03 DE SETEMBRO DE 2010

2ª P A R T EII – Instrução

1.0.0. CURSO DE FORMAÇÃO DE CABOS PM (PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO

NÍVEL BÁSICO – 2010/3)
1.1.0. Conclusão – Aprovação – Menção - Classificação

I – De conformidade com o disposto na Legislação em vigor, participaram e concluíram com
aproveitamento o Curso de Formação de Cabos PM (Programa de Certificação Nível Básico – 2010/3),
no período de 05 JUL a 20 AGO 2010, os policiais militares abaixo relacionados, com as respectivas
médias, menções e classificações.

Mat. Nome Média Menção Clas.
26653-1 Wilson Ferreira Rodrigues 9,78 MB 1º
27207-8 Edson Rosa da Silva 9,62 MB 2º
25023-6 José Ademilson de França Silva 9,54 MB 3º
26662-0 Marcos Gonçalves de Souza 9,52 MB 4º
26631-0 Luciano Mendes da Silva 9,51 MB 5º
26637-0 Mário Antônio de Lima 9,50 MB 6º
26556-0 Argemiro Francisco do Nascimento 9,44 MB 7º
26649-3 Walter Ferreira de Moraes 9,44 MB 8º
26532-2 José Manoel dos Santos 9,40 MB 9º
26605-1 Inaldo Francisco Ribeiro 9,39 MB 10º
26590-0 Osvaldo Manoel de Souza Lins 9,37 MB 11º
27070-9 José Ricardo Luciano 9,37 MB 12º
27157-8 Pedro Afonso de Medeiros Neto 9,37 MB 13º
26658-2 Luiz Pereira Toneu 9,36 MB 14º
26531-4 José Epitácio de Negreiros 9,34 MB 15º
26577-2 Ivaldo Alves dos Santos 9,33 MB 16º
27005-9 Brasdemir Alves de Souza 9,31 MB 17º
26559-4 Cecílio de Souza Silva 9,30 MB 18º
26582-9 José Carlos Sabino de Lima 9,30 MB 19º
26628-0 José Luiz dos Santos 9,30 MB 20º
26603-5 Inaldo Casado de Lima 9,29 MB 21º
27184-5 José Edson de Oliveira 9,29 MB 22º
26617-5 Erinaldo Amaro da Silva 9,28 MB 23º
27008-3 Carlos Alberto da Silva 9,28 MB 24º
26568-3 Edmilson José da Silva 9,27 MB 25º
26613-2 Edilson Sarmento de Gusmão 9,26 MB 26º
26659-0 Luiz Andrade Cabral 9,25 MB 27º
26657-4 Luiz Antônio de Lima 9,24 MB 28º
27049-0 Paulo José do Nascimento 9,24 MB 29º
21940-1 José Jorge de Souza 9,23 MB 30º
26563-2 Cláudio Joge Cavalcanti 9,23 MB 31º
27015-6 Elias Gomes da Silva 9,22 MB 32º
27182-9 Marcos Antônio Ferreira de Oliveira 9,20 MB 33º
27054-7 Ronaldo Lourenço da Cruz 9,19 MB 34º
26635-3 Manoel Pinheiro da Silva 9,18 MB 35º
27001-6 Arlécio Ferreira de Souza 9,17 MB 36º
27019-9 Isaac Félix de Lima 9,17 MB 37º
27216-7 Alexandre Roberto Gomes dos Santos 9,17 MB 38º
27121-7 José Ferreira de Araújo 9,16 MB 39º
26583-7 José Antônio de Sena 9,14 MB 40º
26644-2 Ramates da Silva Santos 9,14 MB 41º
23299-8 Sebastião Carvalho de Oliveira 9,12 MB 42º
26534-9 José Noberto da Silva 9,12 MB 43º
27023-7 João Marques de Souza 9,12 MB 44º
26579-9 José Marcos do Nascimento 9,10 MB 45º
26669-8 Walter Lima da Silva 9,10 MB 46º
26553-5 Antônio Cavalcante de Albuquerque 9,09 MB 47º
26592-6 Paulo França da Silva 9,09 MB 48º
26527-6 Joel Leonardo da Silva 9,07 MB 49º
27217-5 Severino Ferreira da Silva Neto 9,06 MB 50º
27192-6 Sandoval Vieira da Silva 9,05 MB 51º
27172-1 Antônio Vieira da Costa 9,04 MB 52º
26544-6 Marinaldo José da Silva 9,03 MB 53º
26591-8 Paulo José de Santana 9,03 MB 54º
26823-2 José Antônio Pereira dos Anjos 9,03 MB 55º
27241-8 Valmiro da Silveira Costa 9,02 MB 56º
23377-3 Valter Nascimento de Lima 9,00 MB 57º
26573-0 Gildo Francisco de Lima 9,00 MB 58º
27030-0 José Mário Ferreira da Silva 9,00 MB 59º
27105-5 Romildo José dos Santos 9,00 MB 60º
26593-4 Rivaldo Ferreira de Santana 8,99 MB 61º
26630-2 José Paulo de Oliveira 8,99 MB 62º
27112-8 Wlademir Tavares Barbosa 8,98 MB 63º
27004-0 Bartolomeu Vicente de Brito 8,97 MB 64º
26557-8 Assis Furtunato de Lima Júnior 8,95 MB 65º
27208-6 José da Silva 8,93 MB 66º
26552-7 Walmer Cariolano Padilha dos Santos 8,92 MB 67º
26665-5 Rafael Alves do Nascimento 8,92 MB 68º
27048-2 Manasses Teixeira dos Santos 8,89 MB 69º
27097-0 José Luiz Correia dos Santos 8,88 MB 70º
27171-3 Elias Barbosa de Holanda Filho 8,88 MB 71º
26645-0 Robson Carneiro Messias 8,87 MB 72º
26650-7 Itamar José de Andrade 8,87 MB 73º
26655-8 Josemilson José de Moura 8,87 MB 74º
26596-9 Valério Francisco de Paula 8,85 MB 75º
27052-0 Roberto José da Silva 8,85 MB 76º
27243-4 Emmanoel José Soares Lemos 8,85 MB 77º
26543-8 Marcos José da Silva 8,84 MB 78º
26594-2 Severino Emídio dos Santos 8,82 MB 79º
27032-6 José Severino e Silva 8,82 MB 80º
26597-7 Eliezer Inácio da Silva 8,81 MB 81º
22693-9 José Marcos Tavares da Silva 8,80 MB 82º
26574-8 Gilmar Alves da Silva 8,80 MB 83º
26614-0 Edinaldo Campos da Silva 8,80 MB 84º
27010-5 Carlos Fernandes da Silva 8,80 MB 85º
27016-4 Fernando José Vanderley Garcez 8,80 MB 86º
27087-3 Edson Lourenço de Lima 8,80 MB 87º
27142-0 João Batista da Silva 8,79 MB 88º
26565-9 Eraldo Fernando Araújo Bezerra 8,78 MB 89º
27018-0 Glaucimário Carmo de Lima 8,78 MB 90º
27037-7 Manoel Luiz Alves 8,78 MB 91º
27077-6 Fábio Batista da Silva 8,78 MB 92º
27165-9 Robério Evaristo Mota 8,77 MB 93º
27024-5 Jonas Pereira de Lima 8,75 MB 94º
26537-3 Lucivaldo Barbosa de Oliveira 8,74 MB 95º
26656-6 Jailson Pontaleão 8,74 MB 96º
26668-0 Sebastião José de Lima 8,73 MB 97º
27041-5 Marcos Araújo Cabral 8,73 MB 98º
27265-5 Audemi Rezende de Melo 8,72 MB 99º
26652-3 Ginaldo Pereira da Silva 8,70 MB 100º
26680-9 José Eraldo Pereira da Costa 8,70 MB 101º
27190-0 Cláudio Severino dos Santos 8,70 MB 102º
26576-4 Ivan Barbosa da Silva 8,69 MB 103º
26627-2 José Francisco da Silva 8,68 MB 104º
27178-0 José Carlos de Araújo 8,68 MB 105º
26547-0 Paulo Silva de Carvalho 8,67 MB 106º
27152-7 Manoel Aprício Alves 8,67 MB 107º
27269-8 Joélcio Flávio Marinho Rodrigues 8,67 MB 108º
27009-1 Carlos Antônio Henrique Braga 8,66 MB 109º
26586-1 José Roberto Carneiro de Morais 8,65 MB 110º
26611-6 Cícero José Oliveira da Silva 8,62 MB 111º
26676-0 Joás Ferreira Torres 8,62 MB 112º
27055-5 Rosemberg José B. do Nascimento 8,62 MB 113º
27187-0 José Marcos da Silva 8,62 MB 114º
27235-3 José Fernando Azevedo de Lima 8,62 MB 115º
27044-0 Marcos Vinício Barbosa de Freitas 8,61 MB 116º
26525-0 João José Rodrigues Filho 8,59 MB 117º
27211-6 Ailton Soares da Silva 8,58 MB 118º
27040-7 Marcos Antônio de Barros Marcelino 8,55 MB 119º
27161-6 Sílvio Soares 8,55 MB 120º
27166-7 Marcondes Gomes Barbosa 8,53 MB 121º
27179-9 Gilmar Correia da Silva 8,53 MB 122º
27257-4 Carlos Antônio da Silva 8,53 MB 123º
26585-3 José André Ribeiro 8,52 MB 124º
27185-3 Jacinto Alexandre da Silva 8,51 MB 125º
27111-0 José Ivan Gonçalves de Souza 8,50 MB 126º
27259-0 Sérgio José de Oliveira Lemos 8,50 MB 127º
27102-0 Roberto Sabino dos Santos 8,49 MB 128º
27193-4 Ebenezer Ferreira dos Santos 8,49 MB 129º
26602-7 Heleno Alves da Silva Filho 8,48 MB 130º
27135-7 Carlos Alberto Santos de Souza 8,48 MB 131º
26667-1 Samuel Severino da Silva 8,47 MB 132º
26900-0 Waldei Rodrigues da Silva 8,47 MB 133º
27242-6 José Cláudio Soares Lemos 8,47 MB 134º
26666-3 Ricardo José da Silva Correia 8,45 MB 135º
27082-2 Osvaldo José dos Santos 8,45 MB 136º
27108-0 Valdomiro Batista de Melo Filho 8,45 MB 137º
27139-0 Aylson José Mendes Ferreira 8,45 MB 138º
26660-4 Maurício Muniz Vieira 8,44 MB 139º
27027-0 José Cláudio dos Santos 8,42 MB 140º
27196-9 Fernando Sena Pinto Júnior 8,42 MB 141º
27236-1 Severino Eleotério de Lima 8,42 MB 142º
27132-2 Josenildo Torres da Silva 8,41 MB 143º
27164-0 José Carlos Santos Monteiro 8,40 MB 144º
26600-0 Geraldo Evaristo da Silva 8,38 MB 145º
27011-3 Cícero Isídio de Morais Filho 8,38 MB 146º
27163-2 Sérgio do Nascimento Aguiar 8,38 MB 147º
27051-2 Ricardo Marcelino de Lima 8,37 MB 148º
26622-1 Isaac da Silva 8,36 MB 149º
27169-1 Artur Pereira da Silva Filho 8,36 MB 150º
26549-7 Rinaldo Luiz de Oliveira 8,35 MB 151º
26588-8 Josuel Mota da Silva 8,35 MB 152º
26638-8 Natanael José Teixeira 8,35 MB 153º
27025-3 José Carlos Cordeiro de Lima 8,35 MB 154º
27162-4 Geraldo Siqueira de Vanderlei Silva 8,33 MB 155º
26825-9 Jaison Manoel Soares 8,32 MB 156º
27050-4 Pedro Batista dos Santos 8,30 MB 157º
27170-5 Severino de Figuêredo 8,28 MB 158º
27181-0 Eronildo Severino Adelino 8,28 MB 159º
24553-4 Severino Ramos da Silva 8,27 MB 160º
27245-0 Everaldo João da Silva 8,27 MB 161º
26648-5 Severino Espíndola da Silva 8,25 MB 162º
26663-9 Nazionil João Neves de Lima 8,25 MB 163º
26664-7 Onildo Gomes de Arruda 8,25 MB 164º
27143-8 Mario Rogério Soares da Rocha 8,24 MB 165º
27200-0 Severino Galdino da Silva 8,23 MB 166º
26606-0 Ivanildo Paulo Albino da Silva 8,22 MB 167º
27091-1 Luis José Assis dos Santos 8,22 MB 168º
27173-0 Dinilson Diniz Monteiro da Silva 8,22 MB 169º
27045-8 Maurílio de Souza Costa 8,19 MB 170º
26679-5 José Carlos da Cruz 8,17 MB 171º
27126-8 Begivaldo Severino de Melo 8,16 MB 172º
27003-2 Arnaldo Trajano dos Santos Filho 8,15 MB 173º
27028-8 José Felipe de Oliveira 8,15 MB 174º
27140-3 Cícero da Silva Rodrigues 8,13 MB 175º
26535-7 José Rômulo de Franca Nascimento 8,12 MB 176º
26551-9 Valdi da Silva 8,12 MB 177º
27134-9 Dionísio Antônio dos Santos 8,12 MB 178º
27150-0 Antônio Anacleto da Silva 8,12 MB 179º
27188-8 Everaldo Paulo da Silva 8,12 MB 180º
27231-0 Genivaldo Oliveira Santos 8,12 MB 181º
27246-9 José Mário de Lima Barbosa 8,09 MB 182º
27263-9 Luciano Marques Farias 8,08 MB 183º
26545-4 Mirandi José da Silva 8,07 MB 184º
26560-8 Cícero Romão da Silva 8,07 MB 185º
26675-2 João Gerônimo da Silva 8,05 MB 186º
27153-5 Valdomiro Ataides do Nascimento 8,05 MB 187º
26516-0 Manoel Nunes da Silva 8,03 MB 188º
26536-5 José Sizaque da Silva 8,03 MB 189º
27114-4 Antônio da Silva Firmino 8,02 MB 190º
27198-5 Josivaldo Jorge da Silva 8,01 MB 191º
25853-9 Luiz Antônio Barbosa 7,98 B 192º
27230-2 Alberto Carlos Farias dos Prazeres 7,98 B 193º
26998-0 Acacio da Cunha Reis Sobrinho 7,96 B 194º
27254-0 José Fernandes Timóteo Souza Costa 7,96 B 195º
27271-0 Edilson Freitas de Melo 7,95 B 196º
27275-2 Jorge Antônio Pereira da Silva 7,92 B 197º
27031-8 Jose Severino dos Santos Irmão 7,90 B 198º
27247-7 Itamar Araújo de Figueiredo 7,90 B 199º
27276-0 Zaildo Antônio de Lima 7,89 B 200º
27029-6 José Luiz Alves 7,87 B 201º
27255-8 Vandoir Ramos da Silva 7,84 B 202º
27266-3 Marcos Antônio Ferreira da Silva 7,84 B 203º
26570-5 Elísio Pereira de Barros Filho 7,83 B 204º
26629-9 José Marcos Martins de Souza 7,83 B 205º
27141-1 Elizaldo Ferreira de Paula 7,83 B 206º
25613-7 Antônio Irineu da Silva 7,80 B 207º
27035-0 Laudenor Adelino dos Santos 7,80 B 208º
27270-1 Plínio Oreste de Santana 7,80 B 209º
27056-3 Sérgio Nascimento de Brito 7,77 B 210º
27109-8 Gerson José Gomes de Lima 7,77 B 211º
27021-0 Jairo Gregório da Silva 7,76 B 212º
27176-4 Luis Carlos Estrela de Aguiar 7,75 B 213º
27096-2 Ivanildo José da Silva 7,74 B 214º
27180-2 Marcos Ramos Deodato 7,74 B 215º
27088-1 Ronaldo Sabino dos Santos 7,73 B 216º
26682-5 José Hilton Ferreira Campos 7,70 B 217º
23338-2 Ademar Rosendo Vitor 7,68 B 218º
26569-1 Enildo Gino da Silva 7,68 B 219º
26646-9 Rubens Júlio da Silva 7,67 B 220º
27267-1 Carlos Alberto Bernardo da Silva 7,67 B 221º
26992-1 Ricardo José Pinto 7,65 B 222º
26587-0 José Reginaldo Serafim da Silva 7,60 B 223º
26626-4 José Ari Clementino da Silva 7,60 B 224º
27213-2 Edvaldo João da Silva 7,59 B 225º
27244-2 Gildo Firmino Carvalho de Lima 7,59 B 226º
27110-1 Wellington Fernando Pereira Sirino 7,58 B 227º
27074-1 José Edvaldo Montenegro Correia 7,56 B 228º
26661-2 Marcos Faustino da Silva 7,55 B 229º
27146-2 Damião Antônio Dias Cruz 7,55 B 230º
27086-5 Elinaldo José de Carvalho 7,53 B 231º
27273-6 Bernardino Ferreira da Silva 7,52 B 232º
27034-2 Joselito Pereira da Silva 7,50 B 233º
27089-0 Valderedo Pereira Silva 7,49 B 234º
27237-0 Ubiracy Cacique Ribeiro 7,35 B 235º
27168-3 Nailton de Holanda Cavalcanti 7,33 B 236º
26838-0 José Cláudio Ferreira 7,30 B 237º
27272-8 Ubiratan do Monte Figueiroa 7,26 B 238º
26621-3 Hildebrando José de Paula 7,23 B 239º
26834-8 José Miranda da Silva 7,23 B 240º
27183-7 Severino Henrique Ferreira 7,20 B 241º

II – Os policiais militares abaixo relacionados concluíram com aproveitamento o Curso de
Formação de Cabos PM (Programa de Certificação Nível Básico – 2010/3), com aprovação em 2ª
Época, de conformidade com o Parágrafo Único do Art. 171 do Regimento Interno do Centro de
Formação e Aperfeiçoamento de Praças (RI/CFAP).
Mat. Nome Média Menção Clas.

27199-3 Luiz Sérgio da Silva 7,00 B 242º
25214-0 Joel Gomes da Silva 6,98 B 243º

Enc: CFC - Conclusão - Aprovação - Menção - Classificação

0 comentários
Comclusão aprovação e classificação do Curso de Cabos 2010/3ªTurma

Cabo PM Arlécio...


Página 04 do BG 164, de 03SET2010  


Enviado Por um Amigão (Sd Castro)




 

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

A controversa desmilitarização das polícias

0 comentários
Imagem
Tema mais discutido no fórum virtual do portal da 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública (1ª Conseg) nos meses que antecederam o evento em agosto, a desmilitarização das polícias prometia -e rendeu - debates acirrados. O resultado foi a aprovação de duas diretrizes que propõem a desmilitarização:

12. 2.19 A - Realizar a transição da segurança pública para atividade eminentemente civil; desmilitarizar as polícias; desvincular a polícia e corpos de bombeiros das forças armadas; rever regulamentos e procedimentos disciplinares; garantir livre associação sindical, direito de greve e filiação político-partidária; criar código de ética único, respeitando a hierarquia, a disciplina e os direitos humanos; submeter irregularidades dos profissionais militares à justiça comum. (508 votos)

18. 3.2. A - Criar e implantar carreira única para os profissionais de segurança pública, desmilitarizada com formação acadêmica superior e especialização com plano de cargos e salários em nível nacional, efetivando a progressão vertical e horizontal na carreira funcional. (331 VOTOS)

Apesar de a palavra "desmilitarizar" aparecer claramente no texto, o conceito por trás dela tem diferentes interpretações. A indefinição do termo e do que deveria ocorrer com as polícias militares do ponto de vista estrutural com a desmilitarização deixam a questão em aberto.
Avanço democrático

Para o professor José Luiz Ratton, coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Criminalidade, Violência e Políticas Públicas de Segurança da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a desmilitarização das polícias pode constituir importante avanço no plano da construção democrática de políticas públicas de segurança no país.

Ele explica que desmilitarização não implica, necessariamente, em unificação das polícias estaduais ou mesmo em extinção das polícias militares. "Isto está fora de cogitação, entre outros motivos, por ser absolutamente implausível nos cenários políticos de curto e médio prazo", observa.

De acordo com Ratton, as vantagens da desmilitarização progressiva são várias: descentralizar o trabalho das PMs, facilitando a integração com as polícias civis; impulsionar a inovação organizacional, especialmente de modalidades de policiamento adaptadas aos contextos locais, o que muitas vezes é impedido pelos excessivos níveis de comando e centralização da hierarquia militarizada; diminuir as probabilidades de militarização da questão social, dificultando estratégias criminalizadoras da pobreza e dos movimentos sociais na imposição da ordem pública; reduzir as tensões entre oficialato e tropa, favorecendo a construção de perfis e estratégias agregadoras nas organizações policiais, o que aumentaria a eficácia coletiva das polícias e das políticas públicas de segurança.

Para o delegado Vinicius George, da Polícia Civil do Rio de Janeiro, a desmilitarização das polícias é um passo imprescindível para a consolidação de um verdadeiro Estado Democrático de Direito no país. A seu ver, a militarização histórica do aparelho de segurança pública representa um equívoco filosófico, ideológico, metodológico e de finalidade, já que introjeta uma lógica de guerra no aparelho policial.

"Quartéis, destruição de inimigo, invasão e ocupação de territórios, justiça militar são incompatíveis com a atividade policial, que deve ser marcada pela lógica da cidadania. Polícia deve ser cidadão controlando cidadão, trabalhador controlando trabalhador, de forma legal e legítima, dentro do pacto social, antes de tudo prevenindo os crimes pelo policiamento ostensivo. E quando isto não for possível, deve-se investigar, prender e apresentar os autores da violência à Justiça. A repressão, quando necessária, deve ser feita de forma qualificada, dentro da técnica policial, e não militar", afirma.
Falta definição

Paulo Storani, Secretário de Segurança Pública de São Gonçalo, no Rio de Janeiro, reclama da falta de definição do seria a desmilitarização.

"Seria acabar com a hierarquia militar? Com a farda? Com as demonstrações típicas de militares, como continências, ordem unida e toque de corneta? Usam o termo, mas ninguém define o que é", questiona Storani, que é professor da Universidade Candido Mendes.

Para ele, a proposta de desmilitarização aprovada na Conseg resulta da articulação de uma corrente das polícias civis dos estados. "Foi plantado um conceito em que todos os males da PM viriam do fato de ela ser militar. Mesmo desmilitarizada, a PM não deixaria de fazer o que já faz. Isso parece mais um pano de fundo para a institucionalização de uma Polícia Civil uniformizada", provoca.

O professor acrescenta que os princípios e diretrizes aprovados na Conseg são vagos e contraditórios entre si, não deixando claro se a Constituição seria modificada para poder contemplar uma nova definição das polícias militares.

Um dos princípios aprovados na Conferência -o segundo mais votado, com 455 votos - recomenda "a manutenção da previsão constitucional vigente dos órgãos da área, conforme artigo 144 da Constituição Federal". Para Storani, se desmilitarizar a PM significar a desvinculação das Forças Armadas e a vinculação ao Ministério da Justiça, "ótimo".
Estética militar para atingir objetivos

De acordo com o coronel Laercio Giovani Macambira Marques, ex-comandante geral da Polícia Militar do Ceará, um erro cometido por muitos que defendem a desmilitarização é não diferenciar a estética militar da missão institucional.

Segundo ele, a estética militar é uma ferramenta que objetiva facilitar a manutenção de uma hierarquia e de uma disciplina rígidas, segundo ele, "fundamentos essenciais para o exercício do comando de corporações ostensivas, armadas e com poder/dever de constranger outrem até o limite legal e legítimo da matar em defesa do cidadão ou para garantir o pleno funcionamento dos poderes constituídos." O coronel lembra que em todo o mundo, na formação básica de policiais - sejam civis ou militares -, há uma boa fatia de preceitos militares.

"A missão é inerente à razão de ser de uma organização, ou seja, a sua destinação. Tanto as polícias militares quanto as Forças Armadas adotam a mesma estética militar como um estilo de gestão. Não há qualquer incompatibilidade em ambas utilizarem um estilo de gestão comum para atingirem os objetivos de sua missão, estes sim, bastante diferenciados", afirma.

De acordo com o coronel Macambira, as polícias militares do Brasil têm sua vida funcional derivada da cultura organizacional do Exército brasileiro. Ele destaca que esse vínculo foi bastante fortalecido a partir de 1964, quando as polícias estaduais atuaram lado a lado com as Forças Armadas na preservação da segurança nacional. Nesse período, segundo ele, houve uma forte massificação nessas corporações da doutrina do Exército, ministrada nas escolas de formação policial-militar, com ênfase em disciplinas como "guerra revolucionária", "organização de defesa interna e de defesa territorial" e "operações contra guerrilha".

O coronel conta que, com o retorno do país à normalidade democrática, o Exército e as polícias militares se distanciaram. Então, os comandos das polícias militares, sensíveis a essas mudanças, a partir de 1983 reformularam os currículos das escolas de formação e de aperfeiçoamento, buscando adequá-los à nova realidade. Segurança nacional deixou de ser prioridade para essas corporações.

"A preservação da ordem pública e a defesa do cidadão e do patrimônio, em parceria com a sociedade, é a principal missão institucional das polícias militares na nova ordem constitucional, em detrimento da doutrina de guerra", afirma. "O que tem que ficar bastante claro é que na expressão 'polícia militar' o termo militar é secundário e auxiliar do termo principal - polícia - e não o contrário", resume.

Para o coronel, as polícias estaduais precisam de um remodelamento psicológico e das relações interpessoais dos seus integrantes, de forma a fomentar uma mudança comportamental de toda a corporação, com foco no cidadão. "Só assim chegaremos, de fato, a uma polícia cidadã, interativa, comunitária e de proximidade", diz.

"Hoje, as polícias militares devem ser fortes, mas não pelo medo que possam impor, e sim pelo respeito que devam conquistar do cidadão comum e da sociedade como um todo, pela sua eficiência, técnica, agilidade e identificação simbiótica com a sociedade. Isso se traduz em uma polícia inteligente", conclui.
Maioria questiona hierarquia militar

Na pesquisa "O que pensam os profissionais de segurança pública no Brasil", feita pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) para subsidiar as discussões da 1ª Conseg, ficou evidente o descontentamento dos profissionais de segurança com a estrutura militarizada.

Dos 64.130 servidores ouvidos - policiais militares, civis, federais e rodoviários, peritos, bombeiros, agentes penitenciários e guardas municipais -60% consideram a vinculação da PM ao Exército inadequada.

Quando perguntados se a hierarquia de sua instituição provoca desrespeito e injustiças profissionais, 65,6% dos consultados responderam que sim. Entre os policiais militares nos postos mais baixos, o índice é maior: 73,3%. Destes profissionais, 81% acreditam haver muito rigor em questões internas e pouco em questões que afetam a segurança pública, e 65,2% acham que há um número excessivo de níveis hierárquicos em sua instituição.

O relatório da consulta destaca que "as PMs não estão organizadas como polícias, mas como pequenos exércitos desviados de função", e que os resultados disso são precariedade no enfrentamento da criminalidade, dificuldade para exercer controle interno, implicando em elevadas taxas de corrupção, e frequente insensibilidade no relacionamento com os cidadãos.



Autor: Paulo Marcelo Venceslau - Praia Grande(SP) - 08/10/2009
Fonte: Fórum Brasileiro de Segurança Pública, por intermédio do Blog da Renata

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Enc: Dentista - novo horário para marcação de consultas

0 comentários


 


Dentista - novo horário para marcação de consultas
Imprensa | Publicado: 06/09/2010 às 15:54:09 | Visitas: 60
 

PRO SORRINDO

 

 UNIDADES PRÓ SORRINDO ESTARÃO ENVOLVIDAS E DISPONÍVES AOS ASSOCIADOS E DEPENDENTES DA ACS/ PE

 

OBS: Toda e qualquer marcação da Capital e Região Metropolitana, será feita toda segunda-feira no horário da manhã com limite de fichas, pelos números:   Fones: (81) 32227570/34233481

 

- Unidade Pro Sorrindo – Progresso

  Rua do Progresso, 181- Boa Vista

 

- Unidade Pro Sorrindo – Boa Viagem

  Av. Conselheiro Aguiar, 2333 - Ed.João Roma - Boa Viagem

 

Unidade Pro Sorrindo – Olinda

  Av. José Augusto Moreira, 1241- Casa Caiada

 

Unidade Pro Sorrindo – Cabo de Santo Agostinho

  Av. Presidente Getúlio Vargas, 900 – Centro

 

Unidade Pro Sorrindo – Paulista

  Rua Presidente Salgado Filho, 21, Sala135, Shopping Paulista

 

OBSToda e qualquer marcação do Interior, serão feitas conforme informação abaixo:

 

- Unidade Pro Sorrindo – Caruaru

  Av. Agamenom Magalhães, 543 – Centro

  Marcação: Toda terça-feira (manhã e tarde) pelo fone: (81)3721.8045

 

- Unidade Pro Sorrindo – Petrolina

   Trav. Souza Filho, 02 Sala 03 – Centro

   Marcação: Toda terça-feira (manhã e tarde) pelo fone: (87)3862.1164

 

Unidade Pro Sorrindo – Arcoverde

   Rua Delmiro Freire, 185 – Centro

   Marcação: Toda terça-feira (manhã e tarde) pelo fone: (87)3821.1178

 

Unidade Pro Sorrindo – Garanhuns

   Av. Santo Antônio, 190 Sala 01 – 1º. Andar – Centro

   Marcação: Segunda a sexta-feira (manhã e tarde) pelo fone:(87)3762.0125






Inativos da PMPE - Um herói abandonado
Imprensa | Publicado: 06/09/2010 às 14:58:33 | Visitas: 120
 

Operacional, corajoso, dedicado. São muitas as qualidades para descrever o policial militar Braulino Cabral da Silva. O reconhecimento e elogios são concedidos pelos amigos e parentes. Ele é mais um dos esquecidos pela Polícia Militar de Pernambuco. Lotado no 11º BPM, estava de serviço quando foi acionado para atender uma ocorrência. A informação inicial é de que seriam apenas dois elementos.

Ledo engano. Ao chegar ao local, o policial e outro colega de profissão (a guarnição tinha apenas dois PMs) eles encontraram cinco homens. Após uma perseguição aos meliantes, Braulino caiu de uma altura de 15 metros, quebrou a coluna e teve a medula comprimida. A partir de então, sem os movimentos das pernas, ele sofre com dores constantes na coluna. Gasta 40% do salário com medicamentos.

Braulino faz fisioterapia as segundas, quartas e sextas-feiras. Solteiro, sem filhos, paga uma acompanhante para cuidar dele e da casa própria, em Camaragibe. Foi reformado como Cabo, perdeu todas as gratificações (Risco de vida, motorista, alimentação), o que resultou na diminuição de 70% do seu salário.

 
Por: Paula Costa | Jornalista
 
Braulino era lotado no 11º BPM





Inativos da PMPE - Renda foi reduzida de R$ 3 mil a apenas R$ 190
Imprensa | Publicado: 06/09/2010 às 14:55:50 | Visitas: 191
 

Imagine ter a renda reduzida de R$ 3 mil para apenas R$ 190,00, da noite para o dia? Foi o que aconteceu com a policial militar Márcia Verônica Cunha da Silva. Lotada no 6º BPM, ela estava de serviço no batalhão, quando machucou o pé após cair da escada. Encaminhada ao Hospital da PM, nada foi diagnosticado. Volto a trabalhar mesmo sentindo dores. Após 40 dias e fisioterapia, decidiu trocar de médico e descobriu que a pele do pé estava necrosando.

Hoje, após duas cirurgias, uma perna está mais curta do que a outra. Márcia está em processo de reforma, pois não tem condições de voltar ao trabalho. Casada (marido está desempregado) e com três filhos, mesmo na Ativa a renda já não era suficiente. Sendo assim, ela atuava na Patrulha Escolar e era chefe de Monitoração de uma empresa do Shopping Tacaruna.

Devido ao problema do pé, ela teve de abandonar tudo. Deixou de receber as gratificações de risco de vida, etapa de alimentação. Paga aluguel pois não tem casa própria. Mora na UR2 – Ibura. Hoje complementa a renda fazendo e vendendo artesanato em massa de biscuit. Ganha entre R$ 100,00 e R$ 500,00, dependendo da época. Ela garante que tem meses que mal dá para fazer a feira. Já pediu ajuda para ganhar cesta básica e chegou a acumular 12 contas de luz, sem pagar.          

 
Por: Paula Costa | Jornalista
 
Márcia Verônica era lotada no 6º Batalhão





Inativos da PMPE: uma tropa abandonada
Imprensa | Publicado: 03/09/2010 às 17:10:21 | Visitas: 521
 

Da glória ao abandono. Num dia herói, noutro dia um anônimo.  A precariedade das condições de vida dos policiais e bombeiros militares Inativos é tema de um dossiê elaborado pela Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS - PE). O documento já foi entregue ao Ministério Público e também foi encaminhado ao Governo do Estado, Secretaria de Defesa Social e Comando Geral da Polícia Militar de Pernambuco.

Com fotos e relatos emocionantes, o dossiê apresenta a realidade nua e crua, enfrentada diariamente, na luta pela sobrevivência. A partir da próxima segunda-feira (06/09) até a sexta-feira (10/09), a ACS – PE estará veiculando histórias reais, vividas por nossos irmãos de farda. Uma realidade cruel, a qual não podemos mais fechar os olhos.

Muitos estão adoentados e com seqüelas devido a acidentes ocorridos no estrito cumprimento do dever. Possuem gastos exorbitantes com medicação mas, enquanto isso, penam com salários, no mínimo, 40% inferiores aos companheiros da Ativa.

"No momento em que mais precisamos, somos abandonados pelo Estado que insiste em nos pagar através de gratificações. Nossa luta é por uma política salarial justa e igualitária", diz o coordenador Interino da ACS – PE, José Carlos dos Santos.

A Associação também busca a inclusão dos Inativos no texto da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 300. "Somos hoje os Inativos do amanhã. De que adianta temos altos salários apenas enquanto estamos gozando de boa saúde", conclui.




ACS - PE no Programa A Verdade do Povo - Rádio Capibaribe
Imprensa | Publicado: 02/09/2010 às 17:32:04 | Visitas: 120
 

Anistia, Soldo 130, Equiparação Salarial, Funafin e outros assuntos foram debatidos na manhã desta quinta-feira (02/09), durante o Programa A Verdade do Povo. O apresentador Nino Bezerra e o coordenador Interino da Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS - PE), José Carlos dos Santos, esclareceram dúvidas e atenderam às ligações dos policiais e bombeiros militares, os quais, por telefone, colaboraram com o programa. 

Também estiveram presentes os advogados Dra. Elizabeth de Carvaho e Dr. Homero Mendes. Na próxima quinta-feira (09/09), o assunto será o Código Disciplinar. O programa é veiculado pela Rádio Capibaribe (Jovem Cap) AM. Basta sintonizar 1240 e ficar bem informado sobre as ações da entidade. Também é possível tirar dúvidas ou fazer denúncias através dos fones: 3444-2544 ou 3444-2562. Participe! Contamos com a sua audiência.

 
Por: Paula Costa | Jornalista
 
Dos Santos, Dra. Elizabeth, Dr. Homero e Nino Bezerra

-- 



Jurídico ttem resultados favoráveis aos associados
Imprensa | Publicado: 02/09/2010 às 17:16:52 | Visitas: 487
 

O Juiz de Direito, Dr. José Henrique Coelho Dias da Silva, da 6ª Vara da Fazenda Pública, concedeu parecer favorável ao policial militar VDS, o qual ingressou com processo com apoio do advogado da Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS – PE), Dr. Aderbal Mendonça.

As também advogadas da ACS – PE, Dra. Carol e Dra. Nazaré, garantiram vitória para o associado A. F. S. M. O Juiz de Direito da 5ª Vara de Família, Rafael Machado da Cunha Cavalcanti, decretou o divórcio do casal e a conseqüente dissolução do vínculo conjugal.




Dez pessoas integram a Diretoria da ACS - PE
Imprensa | Publicado: 01/09/2010 às 17:49:48 | Visitas: 356
 

Neste mês, mais precisamente no dia 27, a Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS – PE) está completando 14 anos de existências. Desde a fundação até os dias atuais, dezenas de homens e mulheres já fizeram parte do quadro de diretores da entidade. Atualmente, os responsáveis pela administração da entidade são os seguintes:

- Renílson Bezerra (coordenador);

- José Carlos Oliveira dos Santos; Jorge Medeiros

- Almir Serpa; Paulo Luiz de Melo

- Otoniel Cosmo; Eliane Muniz

- Romero Galindo; José Amaral ; Sil Reis

Apenas os nomes indicados acima podem responder em nome da ACS – PE, não estando autorizada qualquer outra pessoa para tal. "É importante que o policial e ou bombeiro militar fique alerta. Muitas pessoas que dizem ser diretor da entidade já não mais fazem parte da mesma ou nunca a integraram", informa o coordenador Interino, José Carlos Oliveira dos Santos

 
Por: Paula Costa | Jornalista
 
Atuais diretores da ACS - PE


ACS-PE
Plantão Jurídico - 81-8657 2770
24h nos finais de semana e feriados
De segunda a sexta das 18:00h as 08:00 

Diretor Jurídico
Medeiros
Luiz de Melo
Serpa


Secretárias
Capital - 81 - 3423-0604 - Carol
Interior - 81 - 3423-0223 - Verônicas



Utilidade Pública

5o ciclo de cursos gratuitos do Prominp

Chamada para o 5 ciclo de cursos do Prominp

Começam nesta terça-feira, dia 17 de agosto, as inscrições para o processo de seleção pública que o Prominp (Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural) vai realizar com o objetivo de qualificar mão-de-obra para atender às demandas futuras da indústria nacional de petróleo e gás, especialmente as da Petrobras. Serão oferecidas 27.915 vagas, em 13 estados, para cursos gratuitos em categorias profissionais de níveis básico, médio, técnico e superior. O processo será executado pela Fundação Cesgranrio.

O edital, que será publicado no Diário Oficial da União (DOU) também no dia 17, estende até 12 de setembro o prazo para os interessados se inscreverem. Para os cursos de nível básico, a inscrição custará R$ 24,00. Nos níveis médio e técnico, R$ 40,00. Para as categorias de nível superior, o valor será de R$ 60,00.

Para concorrer a uma das vagas oferecidas, o candidato deve ter idade igual ou superior a 18 anos, além de preencher os pré-requisitos do curso desejado. As inscrições podem ser feitas através do site do Prominp ou nos postos de inscrição credenciados, listados no edital. Outros postos serão criados no decorrer do período de inscrições e divulgados no site do Programa e grande imprensa.

Existe a possibilidade de isenção da taxa de inscrição para candidatos que possuírem o Número de Identificação Social – NIS e declararem que não possuem recursos financeiros para pagamento do valor. Para fazer jus à isenção total da taxa, os candidatos devem atender às condições listadas no edital e encaminhar a solicitação até 24 de agosto, pelo site do Prominp.

As 27.915 vagas estarão assim distribuídas: 20.601 para cursos gratuitos de nível básico; 5.188 para os de nível médio; 1.286 para o nível técnico e 840 para as categorias de nível superior. Nos níveis médio e superior, há oferta de vagas para portadores de necessidades especiais em algumas categorias específicas.

Serão oferecidas vagas para os estados do Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Sergipe e São Paulo.

Os candidatos aprovados que estiverem desempregados durante o curso receberão uma bolsa auxílio mensal no valor de R$ 300 (cursos de nível básico), R$ 600 (níveis médio e técnico) e R$ 900 (nível superior).

A participação nos cursos não garante emprego aos alunos.O objetivo é melhorar a qualificação dos profissionais que serão, eventualmente, aproveitados pelas empresas privadas fornecedoras de bens e serviços do setor de petróleo e gás natural.

Todas as informações sobre os cursos oferecidos nesta etapa de seleção podem ser obtidas no edital, que estará disponível para consulta e download, nos sites do Prominp e da Cesgranrio, a partir da próxima terça-feira, dia 17 de agosto.

Clique aqui para fazer o download do edital do 5o Ciclo.

Clique aqui para fazer a sua inscrição.


Fonte: